Archivos

Peregrinos da Eucaristia – 8º Dia

Uau”! Isto é o que me vem na mente quando penso nas experiências deste dia no Congresso.

A primeira conferência da manhã foi do bispo Dom Robert Barron, da diocese de Los Angeles. Ele está muito envolvido com a evangelização através da mídia nos EUA. A sua palestra foi muito simples, mas ao mesmo tempo profunda. Basicamente ele falou sobre a Eucaristia como Banquete, Sacrifício e Presença Real de Jesus. Este é o ensinamento do Catecismo da Igreja Católica e fala ao coração das pessoas. As quinze mil pessoas que estavam na audiência prestavam atenção em cada palavra de Dom Robert e essa é a força do ensinamento da Igreja.

Cada manhã também temos um testemunho. Hoje foi a vez de Marianne, uma senhora belga que compartilhou a sua história de conversão pela Eucaristia. Ela vem de uma família protestante fortemente anticatólica. Acabou estudando um doutorado em teologia e foi morar com a sua família nas Filipinas. Ali ela foi tocada interiormente pela fé dos católicos filipinos, e, pouco a pouco, começou a se aproximar da Igreja Católica. Participando de uma Vigília Pascal, ela sentiu no íntimo do seu coração a presença real de Jesus na Eucaristia. “Eu decidi então entrar na Igreja Católica, porque me senti pela primeira vez em casa. Esta é a minha família”. Depois de escutar a sua palestra, eu senti um desejo ardente de adorar Jesus na Eucaristia. Fui diretamente à capela, onde o Santíssimo Sacramento estava exposto. Que grande tesouro é a Eucaristia nas nossas vidas!

De tarde eu queria muito ir na conferência de um sacerdote argentino que eu conheci nos corredores do Centro de Conferências. Ele desempenha o seu ministério numa paróquia que se encontra num lixão. Lá mais de trezentas mil pessoas vivem no meio do lixo. A palestra foi sobre “o Sacerdócio, os Pobres e a Eucaristia”. Ele contou que, conversando uma vez com uma das senhoras pobres de sua paróquia, ele disse para ela: “Pobres de vocês que tem que aguentar um padre que não fala inglês nem filipino direito”; ao que ela respondeu dizendo: “Padre, antes de você chegar aqui, quando não havia paróquia, nós éramos pobres. Agora, nós somos Igreja”. Podia-se escutar um alfinete caindo no auditório.

o Ir. Antônio Lemos é um religioso da Congregação dos Legionários de Cristo, natural de Curitiba, e atualmente estuda teologia em Roma em preparação para o sacerdócio.

Loading Facebook Comments ...

Deja un comentario