A Igreja nos convida a estarmos alegres (III)

Ir. Marlon de Souza, LC

Desde que chegamos ao Advento, temos em conta que é um preparar-se para o maior acontecimento da história: o nascimento de Cristo. E a Liturgia tem um papel fundamental porque nos guia, nos orienta e nos preparamos de um modo verdadeiro e profundo. Neste terceiro domingo do Advento, na Igreja chamado “Gaudete” (que significa alegria), a Igreja nos convida a estarmos alegres, pois nos falta pouco tempo para receber Aquele que vem orientar a nossa História. Por isso escutemos a exortação de São Paulo que nos diz: Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos”.

Neste 3º Domingo vamos tirar nosso propósito do Evangelho de São Lucas 3,10-18

Naquele tempo, as multidões perguntavam a João: “Que devemos fazer?” João respondia: “Quem tiver duas túnicas, dê uma a quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo!” Foram também para o batismo cobradores de impostos, e perguntaram a João: “Mestre, que devemos fazer?” João respondeu: “Não cobreis mais do que foi estabelecido”. Havia também soldados que perguntavam: “E nós, que devemos fazer?” João respondia: “Não tomeis à força dinheiro de ninguém, nem façais falsas acusações; ficai satisfeitos com o vosso salário!” O povo estava na expectativa e todos perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias. Por isso, João declarou a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. Ele virá com a pá na mão: vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro; mas a palha ele a queimará no fogo que não se apaga”. E ainda de muitos outros modos, João anunciava ao povo a Boa Nova.

Neste evangelho podemos recordar um momento da vida de nosso Senhor, que é quando o jovem rico se aproxima de Jesus e pergunta o que deve fazer para ganhar a vida eterna. Jesus lhe responde dizendo: Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe; Todos esses mandamentos estão relacionados com o próximo. E deste mesmo modo, podemos orientar nosso olhar para o que diz João Batista, com relação à pergunta “Que devemos fazer?”. Todas as suas respostas são direcionadas ao convívio respeitoso, à caridade e ao amor ao próximo.

Compromisso Semanal:

Quando nos encontramos com a misericórdia de Deus é impossível não querer retribuir a Ele, através do próximo, pois o próprio Senhor nos diz que ‘Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’ Para esta semana vamos buscar fazer um ato de caridade. Existem diversos modos de exercer a caridade. Pode ser desde um ato externo, de doar roupas que não estão em uso, preparar uma cesta básica e dar a uma família pobre. Além do mais, destas formas podemos realizar uma obra de misericórdia, seja corporal ou espiritual. Busquemos realizar algum ato de caridade com o nosso próximo por amor, como nosso Senhor nos ensinou: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.

Oremos esta semana com Beata Madre Teresa, ela que soube amar a Deus pelo próximo.

Senhor, quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessite de comida.

Quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água. 

Quando sentir frio, dai-me alguém que necessite de calor.

Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo. 

Quando minha cruz parecer pesada, deixai-me compartilhar a cruz do outro.

Quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado.

Quando não tiver tempo, dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos. 

Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém.

Quando estiver desanimada, dai-me alguém para lhe dar novo ânimo.

Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha. 

Quando sentir necessidade de que cuidem de mim, dai-me alguém que eu tenha de atender.

Quando pensar em mim mesma, voltai minha atenção para outra pessoa.

Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.

Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria.

Imagen: Flickr.com/karlhans

Previous post
Rejoice!
Next post
Un sueño llamado Europa (II)

No Comment

Deja un comentario

Back
SHARE

A Igreja nos convida a estarmos alegres (III)